Logo abaixo a Galeria dos Meus Leitores Especiais

Autor

Autor
Pseudônimos

Num barco, no mar revolto de palavras

Um texto só sobrevive, se arrebanhar um leitor!!!!
Um leitor só existe, se alguém escrever!!!


quarta-feira, 29 de julho de 2009

O lado contrário!


O Giz e o Quadro Negro estão de volta! Os Alunos e Professores ainda não!!

O retorno às aulas é sempre salutar para qualquer ser humano que esteja comprometido com o aprender. Digo isto, porque eu vibro quando chega o final de cada descanso longo como os das férias. Pena que nem todos pensem assim. Eu e o leitor conhecemos alguns que falam do horror que é o voltar e ter contato com os pestinhas! Sabe leitor, eu não o censuro, porque não é fácil ensinar no mundo de hoje! Mas por outro lado, esta é uma profissão que não é possível cair de pára-quedas! Necessita-se de estudos e de preparos para exercê-la. Se após conhecer a realidade o indivíduo chegar a conclusão de que não é o que queria para si, então que saia da profissão! Não é verdade?

Todo período de retorno há sempre uma palestra sobre o como ser professor no mundo moderno, algumas escolas contratam estudiosos para orientar o seus profissionais e cada vez que isso acontece a gente se enriquece mais com os saberes contemporâneos. E pela falas dos teóricos percebemos essa preocupação com o ensino! E isto já vem acontecendo há um bom tempo. E até já foram criados várias teorias e até alguns livros com receitas para procedimento para algumas situações da prática em sala de aula. Porém cada vez que saímos de uma palestra chegamos a conclusão que a nossa profissão não é uma simples e mera profissão, é, acima de tudo, uma vocação.

Temos que conviver com a modernidade na sala de aula. Ela faz parte do universo do ser humano! E essas novidades vêm tirando da criança e do adolescente aquele contato corpo a corpo que a gente teve quando era criança. Eu, leitor, e acredito que você tambem, brincava na rua, aprendia as regras do comportamento e ía moldando o jeito de ser sob as regras da rua e da casa. Nós tinhamos uma escola rígida na diciplina e no conteúdo. Porém sabíamos que iríamos para escola para estudar! Hoje não se percebe esse pensamento no aluno. Ele diz declaradamente que não vai para a escola para estudar, ele vai para brincar! Está entendendo leitor? Ele é proibido de brincar na rua, em razão disso torna-se um detento dentro da própria casa. Para passar o tempo se envolve com a modernidade quase que solitariamente. Quando vai para escola, acaba transformando instituição numa rua! Não há comprometimento com o aprender! E por isso acaba ficando sem a escola!

Lógico que esta visão é apenas um ponto de vista e este fato não é a razão principal para o problema da escola de hoje! Mas se considerarmos que na relação entre professor e aluno, dos elementos, o mais reflexivo é o professor, porque pressupoe uma vivência maior e , ainda, um estudo condizente com a profissão escolhida! Convenhamos, ele tem que pensar essa relação!! A criança ainda não tem essa capacidade de dicernimento! Todo retorno temos de estar com pilhas nova e modernas! Existem alguns professores que até traçam metas de comportamento para si dentro da sala! Um professor, amigo meu, elegeu seis palavras para o segundo semestre deste ano. Vou elenca-las entremeadas ao texto.

1- Insatisfeito - Ele se diz insatisfeito com o resultado da aprendizagem. Ele prepara a sua aula, elege a estratégia e vai a campo. Depois faz a avaliação dos resultados obtidos e reconhece que deveria ser melhor o desempenho dos alunos.

2- Irritado - Sente-se irritado, pois não aceita esse resultado. Procura nele as falhas, procura nos alunos outras falhas. Soma as duas e reinventa a sua aula e procura novas estratégias e novamente e vai para a luta. Parte em busca do resultado.

3- Teimoso - Sente-se um teimoso, porque não aceita o resultado como está e tem este comportamento, pois acredita que vai melhorar o resultado. Ele tenta, novamente, sempre com algumas mudanças.

4- O medo - O medo sempre para ele foi uma espécie de alavanca para a mobilização, um instigador, uma tentação para as suas novas investidas Ele frequentemente diz que por trás de um não sempre há um sim. Então sempre por trás de um medo sempre haverá uma coragem. É o binômio da vida segundo ele!

5- Irresponsabilidade - Ele se acha irresponsável, porque não acredita que somente com a responsabilidade se consiga levar adiante alguma coisa. Há de se precisar de alguma atitude ousada para se atingir algum objetivo. No afã de conseguir os resultados torna-se até irresponsável em algumas atitudes e algumas decisões ousadas.

6- Orgulho - Ele se sente orgulhoso do seu comportamento de professor, muitas vezes não só por conseguir melhorar os resultados, mas também por não aceitar da maneira que os resultados se apresentam! E muito mais por não ser um acomodado.

Leia o que foi dito por ele:

- Eu fico muito insatisfeito com os resultados obtidos e aquilo vai ruminando na minha cabeça e me deixa irritado e este estado de irritação vai me cozinhando até mexer com a minha teimosia de ser professor. Essa temosia vai assando a minha mente até eu colocar o medo na água fervendo. E aí vai fervilhando o medo e o medo se vira como pode, irreponsavelmente meto a mão no tacho quente e viro e reviro o medo até encontrar pelo menos a ponta da coragem do outro lado! Muitas vezes a mão sai bem sapecada pelo calor da água. Mas já estou ganhando experiências neste trato com o medo. Dói bastante, porém eu sinto orgulho de ter descoberto do outro lado do medo a coragem. Esta é a minha grande arma para vencer os meus medos ferventes!

(Santiago Derin)

12 comentários:

  1. É Ademar, a EDUCAÇAO, que deveria ser prioridade do governo, não é. Concordo com tudo que dissestes. Sou pofº de químca e depois de anos no ensino fi estudar filosoia da ciência para tentar o desinteresse dos alunos em sala de aula. Acreditava eu, que conseguiria motivar melhor meus alunos....despertar neles maiores interesses...curiosidades...e novamente,nada! Salvo exceções é claro!
    O que há de errado?? e então a resposta surgiu....
    Não sou eu....nem a maioria dos professores....é a EDUCAÇÃO....o SISTEMA EDUCACIONAL, privado ou particular...e os pequenos esforços de alguns de nós não são suficientes. São necessárias mudanças ...e urgentes.
    Se observarmos o sério problema que enfrenta a EDUCAÇÃO,percebemos que as gerações não estão sendo preparadas para conduzirem o país a um futuro melhor do que o existente.
    Se acreditarmos que a democracia assegura a todos a igualdade de oportunidade, e sabemos que isso não significa ter acesso à escola, mas sim acesso ao saber, entenderemos que, quando a escola não ensina; ao invés transmitir informação, abrir oportunidades, proporcionar um raciocínio crítico...se torna alienante.
    E o que encontramos por este Brasil são escolas ruins. A má escola dá a impressão do conhecimento. Além de não propocionar acesso ao verdadeiro conhecimento, impede que ele seja procurado.
    "Educar (ex-ducere = tirar de dentro) é uma ação de ajuda que uma criatura presta a outra para que esta possa tirar de dentro de si mesma suas energias interiores" ( autor desconhecido)
    E assim sendo,a falta de cuidados dos nossos governantes, a falta de fiscalização para com a Educação e consequentemente para como o futuro do país é extremamente clara. Não se consegue avaliar a eficiência dos planos educacionais ou de seus agentes executores. Criam-se vestibulares, vestibulinhos, exame dos cursos, enem, etc...e a cada ano vemos o conhecimento de nossas crianças se esvaindo. Cada colégio avalia de uma maneira, alguns nem avaliam, simplesmente não reprovam e se orgulham dos seus índices de aprovações. Eis aí a que ponto chegou a "escola libertadora". A má formação de alguns professores, os baixíssimos salários que recebem e a falta de reciclagem da esmagadora maioria, a falta de profissionalismo para com os professores, vieram tornar ainda mais sério o processo em suas conseqüências.
    É certo que nunca teremos boa escola sem bons professores, e nunca teremos bons professores sem salário decente e capacitação profissional adequada.
    Portanto,os jovens, são os maiores prejudicados com a má escola. Não estudar não é bom negócio. E a escola permissiva, facilitada, mera fábrica de diplomas, é uma fraude que os inabilitará futuramente, em face da forte concorrência do mercado de trabalho.....desculpe...acho que me empolguei....rs
    Meire
    http://quimiomania.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Depois dos medos ferventes, resta desejar um feliz dia de domingo!
    abraço

    ResponderExcluir
  3. Adorei seu blog... vi que tem muitos blogs, só entrei aqui, mas já virei seguidora, prometo voltar mais vezes para ler tudo com calma! Um abraço e obrigada pela visita!

    ResponderExcluir
  4. Hoje, o professor em sua maioria, é despreparado, desatualizado, descompromissado, sem autoridade, mercenário, refugo doutras profissões - não teve competência pra ser médico ou coisa que valha, se homizia na pedagogia e assemelhados -, não faz jus ao título de magister.
    Agora, depois da Internet, a coisa degringolou, a quantidade de informação que circula em tempo recorde é impressionante. O professor não é mais detentor do conhecimento, pois o que ele sabe, qualquer criança que manipula um mouse obtém-no, nos sites de pesquisa em exigüidade de tempo.
    http://saber-literario.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Olá também estive por aqui retribuindo sua visita, gostei de seu blog. Abraços

    ResponderExcluir
  6. Professor,
    Parece-me – já escrevi sobre isso -, que a grande pedra no caminho da educação moderna é a falta de “humildade” para aprender. Veja que não falo em medo, repressão ou submissão do aluno, mas, apenas humildade para admitir que não sabe e necessita aprender. Sabe-se lá de onde saiu essa arrogância que os acompanha: tudo que exige qualquer esforço ou concentração é rotulado de “um saco”. Ensino, entre outras matérias menos etéreas, Filosofia e Ética, deparo-me, todos os dias, com uma apatia generalizada, isso porque recorro a filmes, apresentações, shows e debates, procuro manter-me o mais próximo possível do mundo multimídia deles, mas, é difícil. O que torna tudo mais difícil é, vez por outra, aparecer uma alma sensível ao nosso esforço, e nos fazer esquecer todas as quimeras que enterramos, fica difícil largar por isso, pois deixaram ainda algumas sementes que valem a aspereza da terra e nos faz sentir o efêmero prazer de ser chuva.
    Agradeço a visita ao meu blog e parabenizo-o pelo(s) seu(s)
    Abraços,
    Joaquim

    ResponderExcluir
  7. Professor,
    Parece-me – já escrevi sobre isso -, que a grande pedra no caminho da educação moderna é a falta de “humildade” para aprender. Veja que não falo em medo, repressão ou submissão do aluno, mas, apenas humildade para admitir que não sabe e necessita aprender. Sabe-se lá de onde saiu essa arrogância que os acompanha: tudo que exige qualquer esforço ou concentração é rotulado de “um saco”. Ensino, entre outras matérias menos etéreas, Filosofia e Ética, deparo-me, todos os dias, com uma apatia generalizada, isso porque recorro a filmes, apresentações, shows e debates, procuro manter-me o mais próximo possível do mundo multimídia deles, mas, é difícil. O que torna tudo mais difícil é, vez por outra, aparecer uma alma sensível ao nosso esforço, e nos fazer esquecer todas as quimeras que enterramos, fica difícil largar por isso, pois deixaram ainda algumas sementes que valem a aspereza da terra e nos faz sentir o efêmero prazer de ser chuva.
    Agradeço a visita ao meu blog e parabenizo-o pelo(s) seu(s)
    Abraços,
    Joaquim

    ResponderExcluir
  8. Quanta Saudades meu amigo.
    Quanto tempo.
    Você nunca mais foi lá e eu não vim aqui.
    Hoje eu vim te visitasr e ver se está tudo bem com este meu grande e primeiro amigo virtual.
    Vejo que tudo bem. Com 10 blogs.Haja folego para tanto.
    Fica aqui, um grande abraço, de quem tem um carinho muito especial por vc. meu grande amigo.
    Sandra

    ResponderExcluir
  9. Olha! O que o professor de quimica diz é muito importante.
    Não consigo gostar dessa questão de aprovar alunos, só para melhorar o indice de uma melhor educação.
    Como cada um U>E tem as suas realidades e praticas, é um avsurdo, muitas vezes o que houvimos e vemos acontecer.
    Realmente a Educação deveria ser levado muito a sério e com muita honestidade.
    Com carinho
    Sandra

    ResponderExcluir
  10. oi, passei pra conhecer seu blog, e desejar bom dia
    bjsss

    aguardo sua visita :)

    ResponderExcluir
  11. Olá!Gostei muito do seu blog e também do seu texto, muito interessante.Existem milhares de professores espalhados pelo Brasil,mas educadores são poucos.É preciso gostar do que faz, no seu texto faltou a palavra amor, ela faz milagres, quando se ama a profissão, o ato de educar se torna prazeroso e satisfatório.
    Abraço!

    ResponderExcluir

Leitor, preciso de você!!
O meu texto só existirá se você ler!!
Deixe suas impressões! Abraços!!